Pedaço de mal caminho

De alguma forma, a dor de dentro dos seus olhos é apenas o começo…

Tédio. Isso resume toda a madrugada de um universitário em férias. Falemos a verdade, todo mundo está com o maior tédio, as férias possuem seu lado de diversão (pois é, você está de férias), mas, também, o tédio domina a todos, como no meu caso. Exatamente agora, meia noite e algo, estou escrevendo este texto, que, provavelmente, poucas pessoas olharão para ele, algumas não estarão nem ai para tudo que estou escrevendo aqui (se ele for lido).

Como sempre, coloquei uma trilha para a minha madrugada, que, na seleção, acabei optando pelo novo trabalho do Hangar, The Reason of Your Conviction. Lançado esse ano, exatamente este mês, o álbum conta “a história de uma pessoa comum que, após ter ficado adormecida por três dias, sente algumas perturbações mentais e resolve mudar completamente sua vida, buscando novas aventuras e tentando ter novas sensações. Durante esse sonho, vozes o ensinam todas as frases secretas para sua vida fazer algum sentido. Essas frases estão incompletas e seu complemento deverá se encontrado através das experiências vividas pelo personagem principal. Após o sonho, tudo pode ser visto de uma outra maneira e não só ele percebe que agora não é mais a mesma pessoa como todos que estão à sua volta também percebem isso”.

Sim, sim, sim, o famoso trabalho conceitual que todos conhecemos muito bem e que muitos, no heavy metal, já lançaram; logo, nenhuma novidade. Mas, preste atenção na idéia do cd, uma história interessante pelo menos. Não sei o porque, mas toda a déia do deste trabalho lembra o clássico Operation Mindcrime, do Queensrÿche. Nada de cavalos alados, dragões e caralhos a quatro. A história tem por idéia central mostrar a mente humana, sonhos, aprendizagem, sentimentos profundos. Dei uma passada de olho em todas as letras, realmente é um trabalho que vai além de qualquer disco comum; o fará refletir e ter diversas sensações enquanto o escuta ou, até mesmo, o lê. Acho devidamente justa a leitura de todas as letras em ordem para se ter uma idéia de toda a trama, realmente genial. Ponto para Aquiles Priester. Pode-se tirar daí um filme ou, quem sabe, uma história em quadrinhos, talvez consigam esses meios transmitir toda a essência das letras, juntamente, mais tarde, com a música. Perturbação, é o que importa!! O trabalhar da mente humana intriga há séculos a muitos estudiosos e até mesmo o idealizador do cd, que possui uma quedinha por serial killers e suas histórias.

Vamos à sonoridade. Na primeira ouvida me lembra qualquer banda Power Metal atual, realmente não botei fé no disco. Porém, após escutar cuidadosamente defini The Reason of Your Conviction como: “o disco que o Masterplan sonhava em compor”; simples, não? “Nossa, mas que cara exagerado”, não amiguinho da poltrona, apenas estou sendo sincero. O som do álbum chega a ser muito parecido com o primeiro álbum do falecido, brincadeira, Masterplan – Masterplan. Escuto e realmente imagino Jørn Lande se esguelando no microfone, Roland Grapow arregaçando as guitarras e Uli Kusch maiando a bateria. Bom, The Reason of Your Conviction não é uma cópia de Masterplan, o trabalho possui sua cara e dos integrantes do Hangar – especialmente Aquiles Priester, que traz toda a “pegada” na bateria e mensagem nas letras.

Os vocais de Nando Fernandes fazem a diferença para o disco, uma voz agressiva e que em momentos – Call me in the name of death – se torna suave e harmônica; a maneira rasgada ajudou na minha idéia do álbum “marterplanizado”, Nando consegue chegar próximo a voz de Jørn Lande. A mudança de vocais para esse novo álbum, acredito que, foi o ponto central da inovação do trabalho.

A vontade é de comentar faixa por faixa, a cada música é um sentimento, uma idéia, um som diferente. Destaco “The Reason of Your Conviction”, “Hastiness”, “Captivity (a house with a thousand rooms)”, “Call Me in The Name of Death” e “When The Darkness Takes You”; escutem, é de outro mundo. A pausa temporaria da banda Angra foi, talvez, para Aquiles Priester uma das melhores coisas para que este disco tenha saído quente e trabalhadíssimo, o tempo gasto não foi desperdiçado.

“The Reason of Your Conviction” foi um dos grandes lançamentos do ano de 2007, que, para outras bandas, foi um ano de muito proveito. Uma porrada de ótimos discos foram lançados esse ano e, no metal, o trabalho do Hangar está entre eles.

(Texto originalmente publicado em 17/12/2007 no Blog Calangoscópio e republicado no site Whiplash)

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.